domingo, 30 de agosto de 2009

PROGRAMAÇÃO DE SETEMBRO

O Cine Vila Rica, agora conduzido pela Pró-Reitoria de Extensão (ProEx) através do ComCine - Comitê de Cinema da UFOP, retoma suas atividades nesse segundo semestre de 2009 com uma seleção de filmes diversificada para os mais variados admiradores da sétima arte:
SETEMBRO NO CINEMA
Sessões com o melhor do cinema mundial, todos os dias às sete da noite, com sessões especiais nos sábados e domingos às cinco da tarde: nos sábados, curtas-metragens; nos domingos, sessão infantil. Filmes de diversos gêneros e estilos, com entrada gratuita!
Confira a programação:
         /  terça 1  /  quinta 3  / 
         19:00  ::  A LIRA DO DELÍRIO
         /  quarta 2  /  sexta 4  /
         19:00  ::  O HOMEM QUE NÃO ESTAVA LÁ
         /  sábado 5  /
         17:00  ::  DIVERSIDADE SEXUAL (seleção de curtas-metragens)
         19:00  ::  A LIRA DO DELÍRIO
         /  domingo 6  /
         17:00  ::  PETER PAN – infantil
         19:00  ::  MADAME SATÃ
         /  segunda 7  /  quarta 9  /  sexta 11  /
         19:00  ::  FAHRENHEIT 451
         /  terça 8  /  quinta 10  / 
         19:00  ::  MANHATTAN
         /  sábado 12  /
         17:00  ::  COMÉDIAS CONTEMPORÂNEAS (seleção de curtas-metragens)
         19:00  ::  MANHATTAN
         /  domingo 13  /
         17:00  ::  CORALINE – infantil
         19:00  ::  O SELVAGEM DA MOTOCICLETA
         /  segunda 14  /  quarta 16  / 
         19:00  ::  BAILE PERFUMADO (+ o curta O HOMEM DA MATA)
         /  terça 15  /  quinta 17  /
         19:00  ::  PULP FICTION
         /  segunda 21  /  quarta 23  / 
         19:00  ::  SARABAND
         / terça 22  /  quinta 24  /
         19:00  ::  CREPÚSCULO DOS DEUSES


          / de 25 a 29 de setembro /
           Mostra Conversando Cinema 5 – filmes comentados



PROGRAMAÇÃO DE MARIANA (Auditório do ICHS)
        //  segunda, 31 ago  \\
            19:00 .. VALSA COM BASHIR
        //  terça, 8 set  \\
            19:00 .. ENTRE OS MUROS DA ESCOLA
        //  segunda, 21/set  \\
            19:00 .. A HORA DA PARTIDA



Informações:

::  A LIRA DO DELÍRIO

De Walter Lima Júnior
(Brasil, 1978, ficção (drama), cor, 105 minutos)

No intervalo entre dois carnavais de um bloco de Niterói, uma "taxi-girl", Ness Elliot, se envolve com um rico e ciumento amante. Para submetê-la à sua vontade, ele tenta os mais diversos artifícios, como a tentativa de transformá-la numa traficante de tóxicos e o seqüestro de seu bebê. Desesperada mas firme, ela procura ajuda de antigos companheiros do bloco Lira do Delírio. Filme raro!

Exibição nos dias 1 (ter) / 3 (qui) / 5 (sáb)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  O HOMEM QUE NÃO ESTAVA LÁ

De Joel Coen e Ethan Coen
The Man Who Wasn't There (EUA, 2001, ficção (drama), p&b, 116 minutos)

Em meio aos anos 40, Ed Crane é um barbeiro infeliz, que vive com sua esposa Doris. Ao descobrir que ela o está traindo, Ed passa então a planejar uma trama de chantagem contra ela, a fim de ensinar-lhe uma lição. Mas quando seu plano vai por água abaixo uma série de consequências desagradáveis ocorrem, incluindo vários assassinatos.

Exibição nos dias 2 (qua) / 4 (sex)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita



.:  DIVERSIDADE SEXUAL – curtas-metragens

Esta seleção de curtas reúne imagens, histórias e personagens que traduzem um pequeno universo de diferentes sexualidades, traduzidas por filmes que enfocam sentimentos de amor e desejo quase sempre em contraposição às regras sociais e religiosas (como em "Sexo e Claustro"). Da crônica de mistério e humor popular de "Vox Populi" ao rito de passagem de "Sargento Garcia" (este adaptado dos escritos de Caio Fernando Abreu), a seleção transita também pelas descobertas de "Meninas" e "Entre Trilhos", nos quais garotas, mesmo em comunidades conservadoras do interior, descobrem o amor já bem cedo. Os premiados "Tá" e "Rasgue Minha Roupa" oferecem o oposto, ao analisar a idéia de uma sensualidade moderna (e mecânica), deixando para "Em Nome do Pai", um raro olhar em tom rodrigueano para a busca do prazer dentro do seio familiar, custe o que ele custar.
          .: EM NOME DO PAI
             De Júlio Pessoa, SP, 2002, 17 minutos.
          .: ENTRE TRILHOS
             De Eloísa Fusco, SP, 2003, 6 minutos.
          .: MENINAS
             De Paula Alves, RJ, 1997, 17 minutos.
          .: RASGUE A MINHA ROUPA
             De Lufe Steffen, SP, 2002, 11 minutos.
          .: SARGENTO GARCIA
             De Tutti Gregianin, RS, 2000, 15 minutos.
          .: SEXO E CLAUSTRO
             De Claudia Priscilla, SP, 2005, 12 minutos.
          .: TÁ
             De Felipe Sholl, RJ, 2007, 5 minutos.
          .: VOX POPULI
             De Marcelo Laffitte, RJ, 1997, 18 minutos.

Exibição no dia 5 (sáb)
17:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  PETER PAN

Clássico da Walt Disney Pictures
(EUA, 1953, animação (infantil), cor, 77 minutos)
Baseado na história de J. M. Barrie, o filme conta a aventura de Peter Pan e seus amigos na Terra do Nunca, o lugar onde as crianças não crescem, onde estão em confronto com o impiedoso Capitão Gancho, que quer se vingar de Peter Pan por ter perdido a mão em uma luta contra ele. Para isso, Pan contará com a ajuda de Wendy e seus irmãos, trazidos do mundo real, e da pequena fada Sininho.
Exibição no dia 6 (dom)
17:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  MADAME SATÃ

De Karim Aïnouz
(Brasil, 2002, ficção (drama), cor, 105 minutos)
O diretor Karim Aïnouz equilibra crueza e plenitude de estilo visual com uma visão "neo-macunaímesca" no retrato de um personagem real. João Francisco dos Santos (Lázaro Ramos), artista transformista e criminoso conhecido como Madame Satã, foi uma figura singular da marginália carioca nos anos 1930. "Eu sou filho de Iansã e Ogum, e de Josephine Baker eu sou devoto", diz este freqüentador da boemia da Lapa entre golpes e mortes. O temperamento explosivo de Madame Satã constrói pela destruição uma vida emblemática, em atos movidos sem mesura por instinto e paixão. A câmera de Aïnouz age como um personagem dos ambientes nos fazendo participar intimamente da vida do protagonista, não apenas retratando à distância, mas se integrando à sua própria vida.
Exibição no dia 6 (dom)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  FAHRENHEIT 451

De François Truffaut
(Inglaterra/França, 1966, ficção (drama), cor, 111 minutos)
A obra-prima literária de Ray Bradbury sobre um futuro sem livros ganha assustadora dimensão realística neste clássico filme dirigido por François Truffaut, um dos grandes inovadores do cinema de todos os tempos. Em um Estado totalitário em um futuro próximo, os "bombeiros" têm como função principal queimar qualquer tipo de material impresso, pois foi convencionado que literatura é um propagador da infelicidade. Mas Montag, um bombeiro, começa a questionar tal linha de raciocínio quando vê uma mulher preferir ser queimada com sua vasta biblioteca ao invés de permanecer viva.
Exibição nos dias 7 (seg) / 9 (qua) / 11 (sex)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  MANHATTAN

De Woody Allen
 (EUA, 1979, ficção (comédia), p&b, 96 minutos)
Um escritor de meia-idade divorciado (Woody Allen) se sente em uma situação constrangedora quando sua ex-mulher decide viver com uma amiga e publicar um livro, no qual revela assuntos muito particulares do relacionamento deles. Neste período ele está apaixonado por uma jovem de 17 anos (Mariel Hemingway), que corresponde a este amor. No entanto, ele sente-se atraído por uma pessoa mais madura, a amante do seu melhor amigo.
Exibição nos dias 8 (ter) / 10 (qui) / 12 (sáb)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita


.:  COMÉDIAS CONTEMPORÂNEAS – curtas-metragens

Que o brasileiro gosta de rir, isso é mais do que sabido. E o curta-metragem tem sido um campo rico historicamente para a expressão cômica. No entanto, muitos filmes acabam fazendo desta relação o espaço para o simples contar de uma piada, deixando de lado a expressão que só a linguagem cinematográfica permite. Nessa coletânea, atravessamos o Brasil do extremo norte ao Sul vendo uma série de narrativas que só extraem sua graça da possibilidade de narrar um conto cômico a partir das imagens e sons. Da realidade urbana de "BMW vermelho" ao causo de bar de "No princípio era o verbo", de uma história do passado ao aparato tecnológico moderno, nós podemos rir de quase tudo através do cinema destes filmes.
          .: AÇAÍ COM JABÁ
             De Alan Rodrigues, PA, 2000, 13 minutos.
          .: BMW VERMELHO
            De Reinaldo Pinheiro, SP, 2001, 22 minutos.
          .: DOV'E MENEGHETTI
             De Beto Brant, SP, 1989, 12 minutos.
          .: NO PRINCÍPIO ERA O VERBO
             De Virgínia Jorge, ES, 2006, 18 minutos.
          .: O OITAVO SELO
             De Tomás Creus, RS, 1999, 15 minutos.
          .: P R KADEIA
             De Eduardo Caron, SP, 1992, 15 minutos.

Exibição no dia 12 (sáb)
17:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  CORALINE

De Henry Selick
(EUA, 2009, animação, cor, 100 minutos)
Coraline Jones está entediada em sua nova casa, até que encontra uma porta secreta e descobre uma versão alternativa de sua própria vida do outro lado. Aparentemente esta realidade paralela é muito similar à sua vida e às pessoas com quem convive – só que é muito melhor. Mas quando este mundo aparentemente perfeito fica perigoso, Coraline terá que contar com sua habilidade, determinação e bravura para escapar e salvar sua verdadeira família.
Exibição no dia 13 (dom)
17:00 / cine vila rica / entrada gratuita


::  O SELVAGEM DA MOTOCICLETA

De Francis Ford Coppola
Rumble Fish (EUA, 1983, ficção (drama), p&b/cor, 94 minutos)
Numa pequena cidade industrial do interior dos Estados Unidos, o jovem Rusty James vive à sombra da fama de um irmão ausente, conhecido por todos como "O Motoqueiro". Praticamente sem família nem amigos, Rusty sequer tem identidade própria, sendo conhecido por todos como "o irmão do Motoqueiro". Até que uma grande rivalidade contra uma das gangues fará com que Rusty mude todos os rumos de sua vida.
Exibição no dia 13 (dom)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita


::  BAILE PERFUMADO

De Paulo Caldas e Lírio Ferreira
(Brasil, 1997, ficção (drama), cor, 93 minutos)
Amigo íntimo do Padre Cícero, o mascate libanês Benjamin Abrahão decide filmar Lampião e todo seu bando, pois acredita que este filme o deixará muito rico. Após alguns contatos iniciais ele conversa diretamente com o famoso cangaceiro e expõe sua idéia, mas os sonhos do mascate são prejudicados pela ditadura do Estado Novo. Inspirado em fatos reais.
Antes do filme haverá a exibição do curta-metragem:
          :: O HOMEM DA MATA
             De Antonio Luiz Carrilho, PE, 2004, 18 minutos.

Exibição nos dias 14 (seg) / 16 (qua)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita


::  PULP FICTION

De Quentin Tarantino
(EUA, 1994, ficção (policial), cor, 154 minutos)
Dois assassinos profissionais que devem fazer cobrança para um gângster; um deles é forçado a sair com a garota do chefe, temendo passar dos limites. Enquanto isso, um boxeador se mete em apuros por ganhar luta que deveria perder. Vencedor da Palma de Ouro em Cannes, 1994.
Exibição no dia 15 (ter) / 17 (qui)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita

 

 

 

::  SARABAND

De Ingmar Bergman
(Suécia, 2003, ficção (drama), cor, 112 minutos)
Trinta anos após o divorcio, Marianne decide visitar John no seu isolado retiro no interior e testemunha o relacionamento atormentado entre seu amargo ex-marido, seu filho, Henrik e uma neta de 19 anos. Ignorando os protestos do seu filho Johan, oferece mandar a garota para um prestigiado conservatório de música, forçando-a escolher entre seu futuro promissor como uma violoncelista ou ficar com seu atormentado pai.
Exibição nos dias 21 (seg) / 23 (qua)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita



::  CREPÚSCULO DOS DEUSES

De Billy Wilder
Sunset Boulevard (EUA, 1950, ficção (drama), p&b, 110 minutos)
Joe Gillis, um roteirista fugindo de representantes de uma financeira, tenta recuperar seu carro preso por falta de pagamento e se refugia em uma decadente mansão, cuja proprietária, Norma Desmond, é uma estrela do cinema mudo. Quando Norma tem conhecimento que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o roteiro de Salomé, que poderá marcar o seu retorno às telas. O roteiro é insuportável, mas o pagamento é bom e ele não tem o que fazer. No entanto, o que o destino lhe reserva não é nada agradável.
Exibição no dia 22 (ter) / 24 (qui)
19:00 / cine vila rica / entrada gratuita


 




**************************************






PROGRAMAÇÃO DE MARIANA


(Auditório do ICHS)










.. VALSA COM BASHIR






De Ari Folman


Vals Im Bashir (Israel, 2008, animação (drama), 90 minutos)






Depois de conversar com um amigo sobre a participação deles na Guerra do Líbano no começo da década de 80, o diretor Ari se dá conta de que há uma grande lacuna na sua memória referente àquela época. Ele resolve, então, sair em busca de seus ex-companheiros de exército israelense para reconstruir o que viveram e o que realmente aconteceu naquele período de tempo. Cada conversa lhe traz novas lembranças e imagens do horror que vivera. Feito todo em animação, é um filme que encontra uma forma interessante de relatar massacres e crueldades de conflitos no Oriente Médio. Tema extremamente forte, tratado com sobriedade e com um final chocante.






Data: 31 de Agosto


Horário: 19:00


Local: Auditório do ICHS - Mariana


Entrada gratuita














.. ENTRE OS MUROS DA ESCOLA






De Laurent Cantet


Entre les Murs (França, 2008, ficção documental (drama), cor, 128 minutos)






François Marin trabalha como professor de língua francesa em uma escola de ensino médio, localizada na periferia de Paris. Ele e seus colegas de ensino buscam apoio mútuo na difícil tarefa de fazer com que os alunos aprendam algo ao longo do ano letivo. François busca estimular seus alunos, mas o descaso e a falta de educação são grandes complicadores.






Data: 8 de setembro


Horário: 19:00


Local: Auditório do ICHS - Mariana


Entrada gratuita














.. A HORA DA PARTIDA






De Tsai Ming-Liang


Ni na bian ji dian (Taiwan, 2001, ficção (drama), 116 minutos)






Hsiao Kang vende relógios nas ruas de Taipei como ganha-pão. Ele acaba de perder o pai, e sua mãe ainda não assimilou a perda, passando horas rezando com um monge para que o espírito do marido volte. Até que acaba acreditando na reencarnação do homem numa barata. Hsiao se apaixona por uma cliente, Shiang-chyi, que chegou da França e tenta comprar dele um relógio que não havia no mostruário. Ele tenta encontrar um similar para ela. Enquanto isso, fica obcecado e passa a acertar todos os relógios de Taipei com o fuso horário de Paris. Já Shiang-chyi, na França, depara-se com estranhos acontecimentos que se relacionam com Hsiao.






Data: 21 de setembro


Horário: 19:00


Local: Auditório do ICHS - Mariana


Entrada gratuita


















comcine@ufop.br

12 comentários:

Daniela disse...

Realmente, a programação é de qualidade. Mas eu acredito que a população Ouropretana gosta de ter acesso aos filmes comerciais no cinema da sua própria cidade. Ou esperamos que os filmes cheguem às locadoras, ou recorremos à pirataria.
A programação do Comcine existia em consenso com a programação comercial. O que aconteceu agora? Vocês realmente pensaram na população quando tomaram essa iniciativa?

ComCine UFOP disse...

Cara Daniela,

É somente na população que vive em Ouro Preto e região que pensamos ao fazer a escolha dos filmes. Do contrário, não escolheríamos esses títulos populares que estão sendo exibidos entre agosto e setembro. Títulos populares, porém não apelativos que não exigem um mínimo pensamento de quem os assistem, pois como o cinema é da Universidade Federal de Ouro Preto, temos o dever de uma formação de público e de uma utilização acadêmica do espaço, mostrando à população que nem só de besteirol americano vive a arte cinematográfica.

Além disso, o Cine Vila Rica atualmente passa por mudanças. Você percebeu que ele ficou fechado em maio e junho deste ano? Fechado por decisão do Tribunal de Contas da União (TCU), que avaliou que o contrato da gestão anterior não estava adequado às normas vigentes federais. E a partir de julho, quando a Universidade retomou o espaço que é seu desde 1986, resolvemos iniciar de uma vez a programação para não deixá-lo de portas fechadas como estava nesses meses (que acabaram servindo como um intervalo para reformas).

Tudo isso até o resultado da licitação para uso do espaço do hall do cinema encerrar e se acertar (provavelmente em outubro, mês que vem). Então tudo volta, digamos, ao "normal", com direito à programação comercial e às tradicionais sessões gratuitas do Cineclube ComCine. É só aguardar mais um pouco!

Anônimo disse...

FILMES COMO OS Q ESTÃO PASSANDO EU ASSISTO EM CASA SE QUISER!!!

QUEREMOS NOSSO CINEMA DE VOLTA!!!

VC´S VEM COM ESSE MONTE DE DESCULPA E NÃO PENSAM EM NÓS, POVO OURO-PRETANO, QUE NÃO QUEREMOS VER ESSAS MERDAS TODAS!!!!

OURO PRETO QUASE NÃO POSSUI OPÇÕES DE LAZER, E VC´S AINDA EXTINGUIRAM O POUCO Q TINHA!!!

O CINEMA É DA UNIVERSIDADE SIM, E VC´S ESTÃO OFERECENDO UM SERVIÇO QUE É APROVEITADO POR VC´S MESMOS, E VEM COM ESSA DESCULPA DE "FORMAÇÃO DE PÚBLICO"!!! PELO AMOR DE DEUS!!! E PELO QUE REPARO, NEM É TODA A UNIVERSIDADE QUE USUFRUI DESSES FILMES, MAS SOMENTE UMA PEQUENA PARCELA, QUE SE COMPÕE DE ALUNOS DE ARTES CÊNICAS E FILOSOFIA.

VOLTEM PARA AS MADRUGADAS, DE ONDE VC´S SAIRAM!!!!

QUEREMOS NOSSO CINEMA DE VOLTA!!!

ABAIXO A TIRANIA MASCARADA!!!

Carla disse...

Eu assisto esses filmes em casa também, se eu quiser. Só que não em uma tela daquele tamanho, não na compania de pessoas variadas que riem e se emocionam juntas, e o melhor de tudo, de graça, sem gastar 1 centavo com locação.

Se for pra voltar com a programação lixo-comercial como era antes, prefiro mil vezes que o cinema continue como está!

Dan Galvaum disse...

Q otima noticia saber q em Outubro teremos finalmente nosso cinema de volta!

Alessandro disse...

Acredito que comentários grosseiros como o do Sr. Anônimo não contribuem em nada na discussão ou mesmo no próprio destino deste espaço tão querido da nossa cidade. Acho ainda que soa muito perigoso um tipo de discurso que defenda em nome próprio coletivos como "povo", como se houvesse um consenso naquilo que o sujeito defende. Gostaria que desavisados revoltados como este, que adora achar um culpado para problemas tão complexos como este que tem sido enfrentado (o de achar um meio para o retorno do funcionamento comercial do cinema) observasse o público que vem frequentando as sessões e ainda as crianças felicíssimas nas sessões nas tardes de domingo, que tanta alegria nos trazem. Olhar para o próprio umbigo e mandar todos para o lugar que deseja anonimamente é muito fácil; fazemos parte de uma sociedade não tão simples de rotular e empacotar. Creio que espaços como este servem para a troca educada de idéias e ainda para sanar dúvidas que possam ser pontuais. Quem quiser acompanhar o desfecho da licitação que dará à Universidade a autonomia necessária para o retorno da programação comercial é só conferir pelo site da mesma, no link licitações.

Jean Dyego - Tarja Black disse...

Antes da crítica deve vir o conhecimento prévio do objeto criticado. Acredito que o Cinema está passando um momento especial de mudanças importantes e lucrativas para a comunidade: basta se inteirar um pouco destas mudanças para perceber que as coisas vão melhorar para a população Ouro-pretana.

Enquanto isso, ninguém deveria reclamar, afinal de contas o cinema está funcionando satisfatoriamente - mesmo que alguns não acreditem. Quem compartilha a realidade do Cinema vê um bom momento e recebe elogios de muitas pessoas que por lá passam.

Finalmente, como dito inicialmente, é preciso ter conhecimento de causa para falar de qualquer coisa neste mundo, o cine Vila Rica é um exemplo - quem o conhece sabe que sua história é uma história de resistência diante de uma realidade que vem apagando a história do cinema no interior. Tomemos cuidado para não falar sem tomar o devido cuidado, senão nossos cotovelos falarão por nós.

Nadja disse...

gostaria de parabenizar mais uma vez o ComCine pela ótima programação!

Ao contrário do que pensam algumas pessoas preconceituosas, os ouropretanos estão adorando a programação e tem lotado as sessões (gratuitas!!!) de agosto e setembro! Bem diferente do que acontecia nas sessões pagas, pois sou testemunha!!
O Cine vila Rica deve SIM ser um espaço de formação de espectador, assim como acontece em outras Universidade dos país.
E como disse nossa amiga Carla nem só de besteira americana vive o homem!
E puxando sardinha pro meu curso: não se esqueçam de ir ao teatro também! O curso de Artes Cênicas tem muitas peças, performances, cenas muito bacanas e em sua maioria também são gratuitas!

ComCine UFOP disse...

Caro ANÔNIMO (não tem coragem de se identificar?),

Os processos administrativos que o Cine Vila Rica está passando já foram resumidos no comentário anterior do ComCine UFOP (em resposta à Daniela). Filmes comerciais não podem ser exibidos até que a situação legal do espaço se regularize. E ponto.

Agora, se TODA a população de Ouro Preto e Mariana assim quiser, o ComCine pára com sua programação gratuita (que está com média de público de 100 pessoas por dia), que conta com trabalho voluntário para que aconteça, e o Cine Vila Rica FECHA AS PORTAS DE UMA VEZ até que os processos para regularização do espaço se resolva. Simples assim!

E só mais uma informação: o cinema é da Universidade. Não é da Prefeitura, nem da Câmara dos vereadores, e muito menos de propriedade privada. Por isso a Universidade tem o direito de fazer o que quiser dele, seja exibindo filmes como os que estão na programação atual, seja fechando as portas, seja alugando o espaço para tornar-se uma igreja qualquer, ou seja lá o que for.

Basta apenas ter paciência...

paula disse...

Aí pessoal parabéns pelas realizações do concine!Os filmes são ótimos e mais ótimo ainda é ver que toda a comunidade pode ter acesso a eles sem pagar nenhum tustão!Todos só temos a ganhar com isto!Acredito que as pessoas ás vezes estranham coisas boas acontecerem....acontece...

Douguinissimo Nãt disse...

Pois é, alguns tipos de comentário demonstram bem a falta de bom senso de seus comentadores.

Sou nascido e criado em Ouro Preto (Vila Rica) e desde minha infância, frequento o nosso cinema,

em toda sua trajetória, este é primeiro momento que de fato ele está cumprindo seu papel, que é de dar a opurtunidade para as pessoas realmente conhecerem o que é a sétima arte

Há uma série de ignorantes (ignorantes no sentido de ignorar)que foram sumariamente criados se alimentando da pobre e podre produção norte americana e que não tem paladar para degustar o que há de melhor

a gestão do cine Vila Rica é da UFOP intermediada pelo comcine que é um comite aberto,

sugiro aos indignados pelas exibições de qualidade, que não esta pautada por filmes que ganham bilhões, a participar dos encontros e justificar suas opniões ou, então,irem aos shoppings de BH para verem filmes comercias, pois inquestionávelmente é o local onde estes devem ficar

é extremamente louvável a proposta de exibir filmes que realmente são arte e não entretendimento e digo isto enquanto militante da sétima arte e Documentarista

entretendimento a Globo oferece muito bem, senão tem cérebro para apreciar o que de fato é cinema é melho ficar em casa em busaca de algum caminho para as índias

e quem sabe, assim estas pessoas não descobrem qual o verdadeiro segredo de Bollywood

Romero disse...

Vcs, população ouropretana, querem que passem quais filmes?

Menino da Porteira? A pedra mágica? Shark boy e lava Girl? Efeito Borboleta 3? Rindo À toa? O décimo filme de didi? Jogo de amor em Las vegas?

E ainda por cima chama os filmes em cartaz de merda? Então eu não sei mais qual a definição de merda!

Bahhh...fala muuuito sério!