quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Conversando Cinema III - especial Fórum das Letras

Clique no cartaz para vê-lo ampliado.


O Comitê Aberto de Cinema da UFOP (ComCine), o Instituto de Filosofia, Artes e Cultura (IFAC/UFOP), a Pró-Reitoria de Extensão da UFOP (ProEx), e o Cine-Teatro Vila Rica, apresentam sua já tradicional mostra de filmes comentados:



CONVERSANDO CINEMA III
Especial Fórum das Letras
De 31 de outubro a 04 de novembro (sexta a terça), sempre às 21 horas, no Cine-Teatro Vila Rica, com ENTRADA GRATUITA!




Confira a programação:


SEXTA, 31/10: DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS
De Bruno Barreto (Brasil, 1976, ficção, cor, 120 minutos.)

Comentado por Guiomar de Grammont

Durante o carnaval de 1943 na Bahia, Vadinho, um mulherengo e jogador inveterado, morre repentinamente e sua mulher, Flor, fica inconsolável, pois apesar dele ter vários defeitos era um excelente amante. Mas após algum tempo ela se casa com Teodoro Madureira, um farmacêutico que é exatamente o oposto do primeiro marido. Ela passa a ter uma vida estável e tranqüila, mas tediosa e, de tanto "chamar" pelo primeiro marido, ele um dia aparece nu na sua cama. Então ela pede ajuda a uma amiga, dizendo que quase foi seduzida pelo finado esposo. Um pai de santo se prontifica a afastar o espírito de Vadinho, mas existe um problema: no fundo Flor quer que ele fique, pois há um forte desejo que precisa ser saciado. Adaptação da obra de Jorge Amado.



SÁBADO, 01/11: RESSURREIÇÃO
De Maya Angelou (“Down in The Delta”, EUA, 1998, ficção, cor, 105 minutos.)

Comentado por Erisvaldo dos Santos

Como última esperança para melhorar sua vida, a problemática mãe solteira Loretta Sinclair decide passar o verão na fazenda de seus ancestrais, no interior do Mississipi. Aos poucos, ela vai descobrindo soluções para seus problemas e reencontra a alegria de viver, sempre com a ajuda do tio Earl. Loretta finalmente começa a enxergar uma maneira de cuidar de sua filha e reverter o desmoronamento de sua vida. No final de sua jornada, ela descobre a força das raízes de sua família e o poder do amor incondicional. Uma história sobre família, comunidade e amizade. É o único longa-metragem dirigido pela atriz e escritora afro-americana Maya Angelou, de 75 anos.



DOMINGO, 02/11: A OSTRA E O VENTO
De Walter Lima Jr. (Brasil, 1997, ficção, cor, 118 minutos.)

Comentado por Guiomar de Grammont

A jovem Marcela vive com seu pai, o faroleiro Jose, e o velho Daniel numa ilha. O único contato da menina com o mundo exterior se dá através de uma embarcação com 4 marinheiros que regularmente vai levar-lhes provisões. Através das palavras de Daniel, que a ensina a ler e é sua fonte de ternura e conhecimento, e da severidade do pai, que quer protegê-la do resto do mundo, Marcela segue sua vida até que, ao tornar-se adolescente, passa a sentir sua sexualidade e seus anseios de viver de forma intensa. Baseado no livro homônimo de Moacir Lopes.



SEGUNDA, 03/11: NARRADORES DE JAVÉ
De Eliane Caffé (Brasil, 2003, ficção, cor, 100 minutos.)

Comentado por Juca Villaschi

Somente uma ameaça à própria existência pode mudar a rotina dos habitantes do pequeno vilarejo de Javé. É aí que eles se deparam com o anúncio de que Javé pode desaparecer sob as águas de uma enorme usina hidroelétrica. Em resposta à notícia devastadora, a comunidade adota uma ousada estratégia: vão preparar um documento - uma espécie de livro de memórias - contando todos os grandes acontecimentos heróicos de sua história, para que Javé possa escapar da destruição. Mas como a maioria dos moradores são analfabetos, a primeira tarefa é encontrar alguém que possa escrever as histórias. Então surge Antônio Biá, uma espécie de Homero sertanejo.



TERÇA, 04/11: SÓ DEZ POR CENTO É MENTIRA
De Pedro Cezar (Brasil, 2008, documentário, cor, 76 minutos.)

:: SESSÃO ESPECIAL :: ESTRÉIA EM MINAS ::

Apresentado e comentado pelo diretor do filme Pedro Cezar

Documentário sobre a vida e obra do poeta sulmatogrossense Manoel de Barros. Alternando seqüências de entrevistas com o escritor, versos de sua obra e depoimentos de conhecedores de sua literatura, o filme traça um painel revelador da linguagem do autor considerado o poeta mais original em língua portuguesa. Com 91 anos, cerca de vinte livros publicados e vivendo atualmente em Campo Grande, Manoel de Barros é consagrado por diversos prêmios literários e é o mais vendido escritor brasileiro.



Todos os filmes começam às 21 horas, e o comentário logo após o filme.

Tudo no Cine-Teatro Vila Rica, com ENTRADA FRANCA.

Não deixe de participar!





ATENÇÃO: a sessão do Cineclube ComCine desta sexta-feira (23h) foi cancelada.





O ComCine UFOP

Criado em 2004, o ComCine – Comitê de Cinema da Universidade Federal de Ouro Preto, é um grupo formado por pessoas de diversas áreas da universidade (alunos, professores e funcionários) e também da comunidade externa, reunidos todos pela admiração ao cinema. Seu principal objetivo é servir como fórum de discussão sobre o audiovisual, considerando a sua produção, circulação e recepção. Trabalha levando o melhor do cinema às pessoas, num processo de formação de público e olhar crítico. Em 2006, o Conselho Universitário (CUNI) aprovou seu regimento interno, reconhecendo-o como espaço privilegiado de discussão e deliberação sobre o audiovisual na UFOP.

Entre suas atividades, destacamos a curadoria da área de Artes Visuais (cinema, vídeo, fotografia) do Festival de Inverno de Ouro Preto e Mariana – Fórum das Artes 2007 e 2008, além da elaboração de mostras regulares ao longo do ano, compostas por filmes temáticos e alternativos, em sessões gratuitas e, por vezes, itinerantes, nestas mesmas cidades. O principal evento atual é o "Cineclube ComCine", que acontece todas as sextas-feiras, às 23h, no Cine-Teatro Vila Rica, com entrada franca. E uma vez em cada período letivo da universidade, promove a "Conversando Cinema": a mostra de filmes comentados por professores, às 21h, no Cine-Teatro Vila Rica, com duração de uma semana e entrada gratuita.

As reuniões são abertas a todos os interessados, para, entre uma discussão e outra, planejar mostras gratuitas, sugerir filmes para a programação do Cine-Teatro Vila Rica – o qual faz parte do patrimônio da UFOP – e criar novas idéias para estimular a comunidade a interessar-se por esta que é chamada a Sétima Arte.

Um comentário:

Marcia disse...

Olha só vcs estão de parabéns, cada semana mais uma surpresa, que bom que o cinema da cidade agora tem cinema de verdade!
Quanta saudades
Marcia - história/UFOP
nanyufop@yahoo.com.br